Você jamais encontrará felicidade enquanto for controlado pelo destino.

Por “destino”, não quero dizer “sina”. Não existe uma coisa chamada “sina”. 

O destino engloba as já esquecidas causas do passado que criam efeitos atuais em sua vida. 

Você pode dizer: “Eu estava destinado a ser guloso”. Mas isso não é verdade.

No primeiro dia em que se alimentou você não era guloso; você é que criou esse hábito.

O bêbado não era bêbado na primeira vez em que provou álcool.

Quando você repete ações sem discernimento, descobre que elas começam a usurpar pensamentos e vontade, fazendo o corpo obedecer a seus ditames.

Daí você diz que é sua sina ser pusilânime ou fracassado.

A corrente que o aprisiona foi forjada por você mesmo, elo por elo.
Você não tem nenhum destino a não ser o que você próprio planejou.

Você mesmo criou a predestinação de ser bom ou mau quando, no passado, repetiu certas ações benéficas ou prejudiciais.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Paramahansa Yogananda,
O Romance com Deus


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relação mãe e filha

Consequências psicológicas do aborto