Pular para o conteúdo principal

Tipos de Agressão Emocional: 
1 – Estimular sentimentos de preocupação, remorso e/ou culpa.
2 – Estimular sentimentos de inferioridade e dependência.
3 – Comportamento opositor e aversivo. 

1 - ESTIMULAR SENTIMENTOS DE PREOCUPAÇÃO, REMORSO E/OU CULPA. 

Um tipo comum de AGRESSÃO EMOCIONAL é a que se dá sob a autoria dos comportamentos histéricos, cujo OBJETIVO É MOBILIZAR EMOCIONALMENTE O OUTRO PARA SATISFAZER A NECESSIDADE DE ATENÇÃO E DE IMPORTÂNCIA DA PESSOA QUE AGRIDE. A intenção do agressor histérico é mobilizar outros membros da família, tendo como chamariz alguma doença, alguma dor, algum problema de saúde, enfim, algum estado que exija atenção, cuidado, compreensão e tolerância. 

No histérico, o traço prevalente é o “histrionismo”. Os pacientes histriônicos exageram seus pensamentos e sentimentos, apresentam acessos de mau humor, lágrimas e acusações sempre que percebem não serem o centro das atenções ou quando não recebem elogios e aprovações. Há grande possibilidade das “doenças” do histérico piorarem quando sente que alguém da família não está reservando parte de sua vida para preocupar-se com ele, quando alguém está se preparando para passear, sair, divertir-se.

Representar papéis é a especialidade mais meritosa da pessoa histérica, assim sendo, com muita propriedade, ela representa a mãe zelosa e preocupada, podendo estar sofrendo do coração, piorando quando fica “nervosa”, “passando mal” quando contrariada ou preocupada, e assim por diante. ESSA TENTATIVA (E SUCESSO) DA PESSOA HISTÉRICA EM CONSEGUIR QUASE TUDO ATRAVÉS DA MOBILIZAÇÃO EMOCIONAL DOS DEMAIS MEMBROS DA FAMÍLIA CAUSA, CRONICAMENTE, UM EXPRESSIVO SOFRIMENTO EMOCIONAL AOS FAMILIARES. 

Se forem os pais os histéricos, normalmente tendem a chamar atenção quando os(s) filhos(s) saem, arranjam namorado (a), deixam de cumprir seus compromissos, se comportam de maneira não esperada, etc. A postura histérica, com suas características de somatizações, surge ainda quando não há reconhecimento festivo de seus esforços para manter a família, da maneira heróica com que lidam com a vida.
Os sintomas histéricos acabam resultando em sentimentos de culpa ou remorso quando, sabidamente, aparecem se a pessoa ficar contrariada. Os familiares acabam sabendo que aquele mal estar e sofrimento da pessoa doente poderia ser evitado se a pessoa não se aborrecesse, se todos não a deixassem nervosa.
Sendo histéricos os filhos, a teatralidade aparece como justificativa, mais que plausível, pelos fracassos e falhas do cotidiano, pela impotência na solução dos problemas e eventuais insucessos. 
Ainda, casos curiosos onde à esposa adoece cada vez que o marido agenda uma pescaria, ou na hora do jogo de futebol com os amigos... Também o homem passa mal quando tem contas a pagar, é demitido, não consegue resolver problemas do cotidiano, etc esse tipo chantagista e histérico de produzir agressão emocional pode ocorrer de vários modos. Tem aqueles casos de manipulação clássica e franca, onde o agressor é capaz de falar claramente coisas do tipo “VOCÊ VAI ACABAR ME MATANDO...”, “NÃO DORMI A NOITE TODA ESPERANDO VOCÊ CHEGAR...”, etc.

Existem ainda aqueles que se comportam placidamente, resignadamente, “QUIETINHOS EM SEU CANTO”, deixando claro seu mal estar e profundo aborrecimento com alguma coisa que está ocorrendo no lar. Esses são piores porque querem que todos saibam o que estão querendo sem que tenham de dizer.

2 – ESTIMULAR SENTIMENTOS DE INFERIORIDADE E/OU DEPENDÊNCIA.

Fazer o outro se sentir inferior e/ou dependente é um dos tipos de agressão dissimulada mais terríveis. Normalmente é o tipo de agressão dissimulada pelo pai em relação aos filhos homens, quando esses não estão saindo exatamente do jeito que o pai idealizou. Alguns comentários “inocentes” e falsamente destinados à orientação paterna podem ser do tipo:
· Na sua idade eu já era...
· Deixa que eu faço, meu bem (enfatizando o ‘meu bem’)
· Você não tem noção sobre isso, mas não é sua culpa...
· Sabia que iria acontecer isso...
· Gostaria que você fizesse só isso para mim, só isso...
A atitude do agressor que faz sentir inferior e/ou dependente, ALÉM DA AGRESSÃO VERBAL IRÔNICA E MORDAZ, também pode ser através de atitudes que sugerem ter resolvido tudo de forma “NATURAL”, sem esforços.
Essa atitude é costumeiramente reforçada com POSTURA AUTORITÁRIA E IMPERIOSA, como se o outro tivesse que pagar, por sua inferioridade e dependência, através da obediência e solicitude. Dessa forma o agressor procura ser tratado “com tudo nas mãos”, exigindo que os outros o atendam serviçalmente.

3 - COMPORTAMENTO OPOSITOR E AVERSIVO

Outro tipo de Agressão Emocional é o comportamento de oposição e aversão. AS PESSOAS QUE PRETENDEM AGREDIR SE COMPORTAM CONTRARIAMENTE ÀQUILO QUE SE ESPERA DELAS. Demoram no banheiro quando percebem que se espera que saiam logo, deixam as coisas fora do lugar quando isso é reprovado, etc. Até as pequenas coisinhas do dia-a-dia podem servir aos propósitos agressivos, como deixar uma torneira pingando, apertar o creme dental no meio do tubo e coisas assim. Mas isso não serviria de agressão se não fossem atitudes reprováveis por alguém da casa.

Esses agressores estão sempre a justificar as atitudes de oposição como se fossem totalmente irrelevantes, como se estivessem corretas, fossem inevitáveis ou não fossem intencionais. Entretanto, sabendo que são perfeitamente conhecidos às preferências e estilos de vida dos demais, atitudes irrelevantes e aparentemente inofensivas podem estar sendo propositadamente agressivas.
Enfim, as agressões emocionais do tipo Comportamento Opositor e Aversivo são variadíssimas, de acordo com as características de cada família. E nem sempre é apenas a atitude ativa que agride. A NÃO-ATITUDE TAMBÉM PODE TER PROPÓSITOS AGRESSIVOS; o silêncio e o emudecimento podem agredir, assim como a apatia, a omissão, desinteresse e o não-fazer-nada.

Algumas pessoas têm a incrível necessidade de provocar emoções negativas nos outros quando, elas próprias, estão emocionalmente complicadas. É como se “o condenado se consolasse na dor do semelhante”. ASSIM SENDO, QUANDO ESSAS PESSOAS ESTÃO IRRITADAS, MAGOADAS, CONTRARIADAS, SERÁ MUITO PIOR SUA IRRITABILIDADE, MÁGOA E CONTRARIEDADE SE NÃO TIVEREM, AO SEU REDOR, PESSOAS COM IGUAIS OU PIORES SENTIMENTOS.

Os agressores emocionais de oposição e aversão costumam ter frases como, por exemplo:
· Mas porque sou eu quem tem de mudar?
· Será tão difícil ter um pouco de paciência comigo?
· Acho que deveriam cuidar de suas vidas e deixar eu cuidar da minha.
· Nessa casa sempre fui tratado de maneira diferente.
· Porque meu irmão pode fazer isso e eu não?
· Os incomodados que se mudem...

No caso da agressão que estimula remorso e culpa os agressores são, predominantemente, mulheres (mães e irmãs, nessa ordem), mas na agressão de oposição e aversão os homens são mais capazes.

Finalizando, é bom ter em mente que o bem estar psicológico dos membros da família não depende apenas da sucessão de eventos proporcionada pelo destino, não apenas das adversidades materiais, mas, sobretudo, da intencionalidade expressa ou dissimulada de agredir os demais.

Fonte Bibliográfica:
Ballone GJ, Ortolani IV - A Família e Transtornos Emocionais, in. PsiqWeb, 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Perfil da manipulação

Simpático(a) ...é a máscara mais freqüente utilizada pelos manipuladores. Ele(a) é sorridente, extrovertido(a), sabe aproveitar a vida. Demonstra atenção com os outros, mas faz questão de marcar a sua posição. Aos poucos, vai ocupando o lugar da outra pessoa. Seu perigo reside justamente em ser tão agradável. Mostrando-se gentil e amoroso(a), consegue fazer com que as pessoas sintam-se pouco à vontade para discordar das suas opiniões. Esse tipo consegue criar um clima de amizade e camaradagem com extrema facilidade.
Sedutor(a)...vaidoso(a) e atraente, ele(a) gosta de olhar nos olhos, de fazer perguntas embaraçosas e de manter certo mistério em torno de si. Não economiza elogios e galanteios e, assim, consegue o quer das pessoas, que o(a) consideram charmoso(a) e irresistível, embora não consigam nada com ele(a).
Altruísta...não mede esforços para agradar: dá presentes, faz favores... mas tudo na expectativa da reciprocidade. Ou seja: não aceita recusas, o que faz com que as pessoas sint…

Consequências psicológicas do aborto

Como muitas mulheres acabam por utilizar a repressão como meio de lidar com o que sentem, a procura de ajuda psiquiátrica pode ocorrer muito depois do aborto ter sido realizado. Estes sentimentos reprimidos, no entanto, podem induzir doenças psicossomáticas ou psiquiátricas noutras áreas da sua vida. Uma sondagem realizada a 260 mulheres, muitas das quais procuravam informação sobre aconselhamento pós-aborto e que já se tinham submetido a pelo menos um aborto enquanto adolescentes, mostrou que de uma forma geral estas mencionaram ter: “flashbacks” relativos ao momento do aborto, crises de histeria, sentimento de culpa, medo do castigo de Deus, receio pelas suas própria crianças, agravamento de sentimentos negativos no aniversário da data do aborto ou quando exposta a propaganda a favor da liberdade de escolha (do aborto), interesse excessivo em mulheres grávidas e em bebês, visões ou sonhos com a criança abortada, consciência de terem falado com a criança abortada antes do aborto. Mulhe…

Personalidade Esquizoide

O homem de lata do "Mundo de OZ", sofre de Transtorno de Personalidade Esquizoide, pois a crença de que é incapaz de amar pois não possui um coração, fez com que passasse a vida sozinho. Este transtorno é caracterizado pela falta de desejo de interagir com outros e por sua propensão a evitar situações sociais. A pessoa tem dificuldade em formar relações pessoais, expressar emoções, críticas ou elogios não o perturbam, como as conquistas profissionais e amorosas não significa quase nada, suas atividades não proporciona prazer, sua capacidade limitada de expressar sentimentos, tem pouco interesse em ter relações sexuais, prefere atividades solitárias, mantém uma vida introspectiva, não sentem falta em ter amigos, são insensíveis as normas sociais.